20 Fev, 21

Bem no coração da cidade, a capital goiana ganhará um espaço verde que dará mais cor e vida para um dos pontos mais urbanizados da cidade, o Setor Marista. Uma área privada com mais de 2.000 metros quadrados será transformada em praça aberta ao público. É a proposta da WTC Square, uma gentileza urbana do recém-lançado World Trade Center Goiânia (WTC), que permitirá a conexão entre os diversos pontos do complexo - residencial, office, events, mall e hotel.


A ideia surgiu com a intenção de criar um espaço harmônico e de fácil acesso para pedestres, que integrasse e desse acesso a todos os setores do complexo, além de ser uma contribuição para aumentar o índice de vegetação natural da região. O paisagista e mestre em botânica Ricardo Cardim é quem assina o projeto e explica que todo o desenho da praça foi inspirado nos biomas que predominam em Goiás - o Cerrado e a Mata Atlântica. “O estado possui uma biodiversidade e paisagens ímpares, marcado por rochedos, serras e chapadões. O projeto é uma aposta no local, mostrando o que Goiás tem para oferecer ao mundo”, detalha o especialista.


O uso das espécies endêmicas não é uma medida que visa apenas enfatizar a vegetação local, mas também uma medida ambientalmente correta. As espécies exóticas são prejudiciais porque impedem o desenvolvimento das nativas e não possuem predadores naturais para controlar o crescimento em uma região, se multiplicando e substituindo as espécies locais, que servem de alimento e abrigo para diversos animais do bioma. Apesar disso, Cardim informa que cerca de 90% das plantas utilizadas no paisagismo são oriundas do exterior, algo contraditório diante do fato do Brasil ser um país rico em biodiversidade.


“Ainda é frequente a ideia de o que vem de fora é melhor, enquanto que o potencial local é subvalorizado”, diz o ambientalista, convidado pelo WTC para desenvolver a praça em razão de seu reconhecido trabalho com o meio ambiente urbano. Conhecido como Dr. Árvore, suas pesquisas resultaram na criação de três áreas públicas de Cerrado na cidade de São Paulo. Ele também ficou bastante conhecido pelo projeto “Floresta de Bolso”, em que promove o plantio de mudas para a implantação de pequenas florestas de Mata Atlântica por toda a capital paulista.


“Ao usar espécies endêmicas também contribuímos para que a fauna e a flora sejam mantidas, já que os pássaros da região, por exemplo, podem levar as sementes dessas espécies para outros locais, algo que pode não ocorrer com a inserção de uma árvore exótica que não tenha um animal local que se alimente de seus frutos”, detalha Cardim.


De acordo com a gerente de empreendimentos da Consciente Construtora e Incorporadora, arquiteta e urbanista Camila Inácio, os jardins do WTC Goiânia possuirão alturas diferentes para dar uma sensação de movimento e recriar a ideia dos degraus de vegetação que recebem a rampa que dá acesso à praça. “Os jardins serão verdadeiros patamares gramados e vegetados, formando um grande jardim vertical”, destaca a gerente da construtora que é responsável pela construção do empreendimento. Além dos jardins, a praça do WTC disponibilizará uma rede de conexão à internet por meio de wi-fi para os frequentadores da região.


Sobre o WTC


A rede World Trade Center está presente em quase 330 cidades de 90 países. Depois de São Paulo, Goiânia será a segunda cidade do Brasil a receber um WTC e a primeira a contar com uma área residencial. A rede surgiu na década de 1940, em New Orleans, nos Estados Unidos, com o objetivo de fomentar o comércio internacional na região. Idealizados pelos irmãos Rockefeller, o empreendimento chegou em Nova York com a inauguração das famosas Torres Gêmeas em 1973 como parte do processo de revitalização da parte sul de Nova York, na ilha de Manhattan.


Com o passar dos anos, a rede World Trade Center se tornou uma forte comunidade internacional de negócios através do business club, permitindo a comunicação de empresas multinacionais em todos os continentes. O WTC Goiânia conta com a incorporação da JBJ Incorporações e da Consciente Construtora e Incorporadora.





Categorias: Sustentabilidade